parallax background
Arma com a qual Van Gogh teria se matado foi leiloada em Paris
Arte Ate Voce Mona Lisa
O roubo da Mona Lisa
18 julho 2019
Salvator Mundi
Onde estará “Salvator Mundi”, o quadro mais caro da história?
21 julho 2019

O revólver, com o qual se acredita que Vincent van Gogh tenha atirado em si mesmo em 1890, foi leiloado em junho passado em uma casa de leilões em Paris. Considerado “a arma mais famosa da história da arte”, o revólver Lefaucheux, de sete milímetros, foi descoberto por um fazendeiro em 1965.

Foto: AuctionArt – Rémy le Fur & Associés at Drouot em Paris

A morte de Van Gogh é envolta em mistério e controvérsia. Há especulações de que o artista  teria sido de fato assassinado por um habitante local, ou que o tiro partiu acidentalmente de dois adolescentes brincando com um arma, mas a teoria oficial é que Vincent tentou o suicídio em um campo de trigo perto da aldeia de Auvers-sur-Oise, ao norte  de Paris, onde passou os últimos meses de sua vida.

O atormentado artista, conhecido por obras como A Noite Estrelada e Girassóis, apesar de na época de sua morte estar produzindo quase uma obra por dia, estava com o estado psíquico abaladado.

Acredita-se que o artista holandês havia tomado a arma emprestada do dono da pousada na aldeia onde ele estava hospedado. Van Gogh deu um tiro no estômago e o tiro não o matou. Ele voltou cambaleando no escuro de volta ao albergue, onde morreu dois dias depois, em 29 de julho de 1980, aos 37 anos, devido a complicações relacionadas do ferimento.

Quando um fazendeiro descobriu a arma 75 anos depois, no mesmo campo onde se acredita que o problemático pintor holandês tenha se ferido fatalmente; ele a devolveu à antiga pousada. A antiga pousada virou um café sob nova propriedade, e acredita-se que a filha dos donos desse café seja a proprietária da arma de fogo.

Em 2012, a arma foi tema do livro  de Aurait-on retrouvé l’arme du suicide? (“Teria-se encontrado a arma do suicídio?”), de Alan Rojan, o qual narra a história do revólver. Em 2016, ela foi mostrada na exposição especial Nos confins da loucura, a doença de Vincent Van Gogh, no museu que leva seu nome em Amsterdã.

Além do fato de o revólver ter sido encontrado no mesmo lugar onde o artista teria cometido o suicído, a casa de leilões aponta outras evidências que reforçam a idéia que o artista teria realmente se suicidado com essa arma: “o calibre (7 mm) é o mesmo que a bala recuperada do corpo do artista, conforme descrito pelo médico que cuidou dele; a natureza do ferimento também é compatível com a baixa potência da arma, o que explicaria  por que Van Gogh não morreu instantaneamente depois do tiro; e, finalmente, os estudos técnicos e científicos mostraram que o revólver esteve enterrado no solo por um período de cinquenta a oitenta anos”.

Apesar de a Casa de Leilão AuctionArt – Rémy Le Fur, responsável pela venda do revólver, ter dito que não há como ter absoluta certeza de que a revólver leiloado é a arma fatal, a dúvida não parece ter impedido o comprador de oferecer ao objeto leiloado, previamente avaliado entre 40 a 60 mil euros, o valor final de 162.500 mil euros.

 

Carolina Horta
Carolina Horta
Carolina Horta é formada em História da Arte pela Universidade de Londres e tem cursos de especialização pela “Sotheby’s Institute of Art”. Ela é servidora pública federal e trabalha no exterior há quase nove anos. Atualmente, mora em Varsóvia, na Polônia; antes disso, morou em Londres por mais de seis anos. Morando há tantos anos na Europa, ela tem tido o privilégio de frequentar feiras, bienais, exposições e inúmeros museus, assim como ter acesso a um rico e extenso material sobre arte. Arte até Você é um projeto que nasceu de sua paixão pela arte e de sua vontade de compartilhar e fazer chegar essa paixão aos leitores, onde quer que eles estejam. Sua intenção é informar, inspirar e fazer com que mais pessoas se apaixonem pela arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *