parallax background
Tapeçarias de Rafael voltam à Capela Sistina depois de 500 anos
Marc Chagall
A Cor e o Amor nas Obras de Chagall
8 fevereiro 2020
Missão Monumental
Missão Monumental: a heróica busca de obras de arte saqueadas pelos nazistas
13 março 2020

Tapeçarias de Rafael voltam à Capela Sistina depois de 500 anos

Este marca o 500º aniversário da morte do pintor Rafael Sanzio, e os Museus do Vaticano, que possuem vários de seus afrescos e pinturas, já começaram a homenagear o grande artista.  Este mês, esteve em exposição, nas paredes da Capela Sistina, dez tapeçarias pintadas por Rafael (1483 – 1520).

 

 

São Paulo a pregar em Atenas

São Paulo a pregar em Atenas. Tapeçaria 

Rafael

São Paulo a pregar em Atenas e O sacrifício de Listra, abaixo de pinturas famosas, na Capela Sistina.
(Wikimedia Commons)

O sacrifício de Listra. Tapeçaria 

Rafael, ao lado de Leonardo Da Vinci e Michelangelo, é considerado parte da “trindade sagrada” de artistas mestres da Alta Renascença italiana. Ele não apenas dominava as técnicas fundamentais da arte do Renascimento – sfumato, perspectiva, correção anatômica precisa e emocionalidade e expressão autênticas –, como também incorporou um estilo individual conhecido pelo extraordinário refinamento, clareza, composição sem esforço, delicadeza quase evanescente das feições de suas figuras e profundo sentimento.

Pintura para a tapeçaria A pesca milagrosa (Raphael Cartoons),
Victoria and Albert Museum, Londres.
(Wikimedia Commons)

Rafael já trabalhava para o Vaticano, quando, em 1515, o Papa Leão X lhe pediu que pintasse cenas da vida de São Pedro e São Paulo, para serem tecidas como tapeçarias na Bélgica.

Rafael Sanzio, Escola de Atenas, 1509-1511. Museus do Vaticano, Roma
(Wikimedia Commons)

O Papa as viu penduradas nas paredes da capela, pela primeira vez, em 26 de dezembro de 1519, dia da festa de Santo Estêvão.  Quando foram expostas, as tapeçarias, feitas de seda, lã e fios de prata, causaram impacto devido à grande escala das pinturas, ao drama da composição e à expressividade das figuras, responsável pela impressão de que elas saltavam da superfície da imagem.

Tapeçarias A pesca milagrosa e Jesus dá a chave do paraíso a Pedro, colocadas abaixo de pinturas famosas.

A pesca milagrosa. Tapeçaria

Jesus dá a chave do paraíso a Pedro. Tapeçaria.

Hoje expostas no Salone di Raffaelo, na Pinacoteca Vaticana, as tapeçarias são usualmente exibidas sob o vidro, por razões de conservação, o que pode ser decepcionante para uma boa observação de têxteis. Ao contrário, na exposição no Vaticano, elas estarão sem a proteção do vidro. Assim, o visitante poderá vê-las como o papa as viu, abaixo dos afrescos da vida de Moisés e Jesus Cristo, pintados pelos maiores pintores italianos do século XV, como Botticelli, Perugino, Ghirlandaio e Signorelli, e sob o sublime teto de Michelangelo, concluído em 1512.

Capela Sistina. Observe que não há pinturas na parte de baixo das paredes. As tapeçarias de Rafael foram encomendadas especificamente para decorá-las.

As Tapeçarias sendo colocadas na Capela Sistina. Museus do Vaticano, Roma.
(Governatorato SCV © Direzione dei Musei/Handout via REUTERS/File)

A cura do coxo de nascença. Tapeçaria .

As tapeçarias eram tão preciosas que só eram penduradas durante as principais festas religiosas. Acredita-se, por isso, que no dia da festa de Santo Estêvão, Rafael as viu in situ pela primeira e última vez, uma vez que o artista morreu menos de quatro meses depois, aos 37 anos de idade.

Victoria & Albert Museum

Sete das pinturas preparatórias para as tapeçarias do Vaticano, conhecidas como Raphael Cartoons, e consideradas um dos maiores tesouros do Renascimento, estão em exibição no Victoria & Albert Museum, em Londres, desde 1865, quando foram cedidos pela rainha da Inglaterra. (https://www.vam.ac.uk/collections/raphael-cartoons)
Carolina Horta
Carolina Horta
Carolina Horta é formada em História da Arte pela Universidade de Londres e tem cursos de especialização pela “Sotheby’s Institute of Art”. Ela é servidora pública federal e trabalha no exterior há quase nove anos. Atualmente, mora em Varsóvia, na Polônia; antes disso, morou em Londres por mais de seis anos. Morando há tantos anos na Europa, ela tem tido o privilégio de frequentar feiras, bienais, exposições e inúmeros museus, assim como ter acesso a um rico e extenso material sobre arte. Arte até Você é um projeto que nasceu de sua paixão pela arte e de sua vontade de compartilhar e fazer chegar essa paixão aos leitores, onde quer que eles estejam. Sua intenção é informar, inspirar e fazer com que mais pessoas se apaixonem pela arte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *